São Paulo, 16 de Janeiro de 2019.

"Dinheiro é uma coisa muito útil de se ter. Na verdade, quanto mais você ganha, menos parece que você toca." (Charlie Watts, Rolling Stones)
lll Agenda de Shows
lll Agenda de Shows Cover
lll Álbum de Fotos
lll Baladas Rock 'n Roll
lll Banda da Semana
lll Bandas
lll Bandas Independentes
lll Casas de Shows
lll Colaboradores
lll Colunas & Artigos
lll Direto da Redação
lll Discografia
lll Entrevistas
lll Fale Conosco
lll Lançamentos
lll Letras de músicas
lll Livros
lll MEU ROCK IN SAMPA
lll Meus Dados
lll Promoções
lll Rádios Rock de SP
lll Reviews CD's
lll Reviews Shows




ASSINE ROCK IN SAMPA




lll Login..............

Email:

Senha:



Ache e compre seu CD aqui:



:: Colunas & Artigos

Novo sangue no novo disco do Metallica, por Renato “Palmito” Togawa


No dia 16 de fevereiro, o Metallica postou um “studio update”, com notícias direto do estúdio de gravação. A nota diz que eles estão fazendo jams, compondo e se divertindo bastante. É ótimo ver a banda assim, já que tudo quase foi por água abaixo durante as gravações do disco “St. Anger” (vide o DVD “Some Kind of Monster”). A nota não mostraria nada de mais, a não ser pela foto de um certo senhor barbudo e rechonchudo, em companhia dos caras.
Eis que então, eles afirmam na nota que Rick Rubin será o produtor do novo disco do Metallica. Muitos se perguntam: e o que aconteceu com Bob Rock? Bem, ele está com o Motley Crüe e passará o resto do ano com eles, produzindo seu novo disco (e torço para que seja um grande disco).
Muitos dos fãs da sonoridade mais antiga da banda estavam com o pé atrás com Bob Rock, que assumiu o posto de produtor da banda no homônimo “Metallica” de 1991, mais conhecido como “Black Album”. Os fãs alegam que Bob Rock levou a banda a “comercializar” seu som, muitos até alegando a perda total da identidade musical da banda com o lançamento de “Load” (1996) e “Reload” (1997), e mais recentemente, “St. Anger” (2003). A mudança sonora da banda realmente é fortemente notada, independendo de sua qualidade.
Rick Rubin atualmente é o produtor mais requisitado do mundo da música. Já produziu os mais diversos artistas, dos mais diversos estilos. Sua assinatura está em discos como “Mesmerize” e “Hypnotize” do System of a Down, “Audioslave” e “Out of Exile” do Audioslave e “Vol. 3 (The Subliminal Verses)” do Slipknot. Já trabalhou com artistas de hip-hop, como Jay-Z, LL Cool J e Run DMC (aliás, foi ele que juntou os rappers e o Aerosmith, criando a clássica “Walk This Way”). E ainda há nomes como AC/DC, Rage Against The Machine, Weezer, Red Hot Chilli Peppers, Linkin Park, Johnny Cash, Shakira, Justin Timberlake, entre outros.
Se você é um dos fãs mais saudosos, deve estar se perguntando: “Por que diabos esse cara está produzindo o novo disco Metallica?!”. Antes de entrar na fase raivosa dos protestos sem fim, xingar e achar que o próximo disco será mais New Metal do que o “St. Anger” (embora não ache, já ouvi muito isso), saiba que Rick Rubin produziu grandes bandas clássicas do Heavy Metal. O seu currículo inclui nomes como Danzig e Slayer (inclusive os discos “Reign in Blood”, “South of Heaven” e “Seasons in The Abyss”, considerados como os maiores clássicos do grupo). Ahá! Por essa você não esperava, né?!
Brincadeiras à parte, além de Rick Rubin, a banda contará com o baixista Robert Trujillo, que ficou de fora das gravações de “St. Anger”, pois entrou na banda posteriormente (o baixo do disco foi gravado pelo próprio Bob Rock). Robert é outro que dispensa comentários. Tocou no Suicidal Tendencies, Infectious Groove e com a banda de Ozzy Osbourne, chegando a tocar um tempo com a banda do guitarrista Zakk Wylde, a Black Label Society.
O novo disco está previsto para 2007, e as gravações terão início no final de 2006. Em junho, o Metallica saíra de turnê pela Europa, onde irão tocar em grandes e tradicionais festivais, como o Download na Inglaterra e Irlanda do Sul, e o Rock Am Ring na Alemanha. Bem que eles poderiam dar uma passadinha por aqui pela América do Sul, depois daquele lamentável episódio em 2003, quando cancelaram os shows por aqui e não remarcaram data alguma. Seria uma boa maneira de fazer as pazes com o público brasileiro, que ultimamente anda muito chateado com a banda.
Quanto ao novo disco, só nos resta esperar... E torcer para que os “The Four Horsemen” voltem com força total, como gostamos tanto de ver e ouvir.

Agradecimentos à Bruno Kepper, por me esclarecer algumas dúvidas e pela correção...
Valeu, cara! \o/

Comente

Melhor visualizado com Mozilla Firefox > 1.0 ou I.E > 6.0 em 800x600.
RockInSampa.com.br - Todos os direitos reservados. A RockInSampa é uma publicação da Editora e Produtora Virtual.