São Paulo, 16 de Janeiro de 2019.

"Dinheiro é uma coisa muito útil de se ter. Na verdade, quanto mais você ganha, menos parece que você toca." (Charlie Watts, Rolling Stones)
lll Agenda de Shows
lll Agenda de Shows Cover
lll Álbum de Fotos
lll Baladas Rock 'n Roll
lll Banda da Semana
lll Bandas
lll Bandas Independentes
lll Casas de Shows
lll Colaboradores
lll Colunas & Artigos
lll Direto da Redação
lll Discografia
lll Entrevistas
lll Fale Conosco
lll Lançamentos
lll Letras de músicas
lll Livros
lll MEU ROCK IN SAMPA
lll Meus Dados
lll Promoções
lll Rádios Rock de SP
lll Reviews CD's
lll Reviews Shows




ASSINE ROCK IN SAMPA




lll Login..............

Email:

Senha:



Ache e compre seu CD aqui:



:: Shows Review

Angra, 05/11/2005
Por: Renato "Palmito" Togawa

14 anos... O que pra muitos é o início de uma vida, para o Angra é uma história de sucesso e superação. E o Via Funchal, em São Paulo, foi o escolhido para celebrar essa chegada à adolescência um tanto quanto madura dessa banda, que é famosa e respeitada no mundo inteiro.
Uma fila enorme já fazia a volta no quarteirão desde o final da tarde... Era sinal de casa cheia. Às 22:20 (20 minutos de atraso), o Via Funchal foi tomado pela escuridão e é iniciada a instrumental “Deus Le Volt!”, música de abertura do disco mais recente da banda, o conceitual “Temple of Shadows”. O disco conta a história, criada pelo guitarrista Rafael Bittencourt, do soldado Shadow Hunter, que luta em Cruzadas no século XI. Shadow Hunter passa a questionar os ideais da Igreja Católica, e todas as faixas do disco retratam de diferentes formas, o desenrolar da trama... Desde o início de seu questionamento a influência disso em sua vida.
Ao final da introdução, O Angra inicia sua apresentação com “Spread Your Fire”, outra do disco “Temple of Shadows”. O público pulou e cantou junto durante toda a música. Encerrou assim o ponta-pé inicial, do que mais tarde, irá se tornar um show único na história da banda. O vocalista Edu Falaschi saúda seus fãs, e pergunta se todos tem hora pra voltar, pois tinham muitas músicas para tocar. Falou ainda que o show terá um set list especial, que terá músicas que abrangem todos esses 14 anos de carreia da banda. Em seguida, o Angra inicia “Angels And Demons”, que tem uma pitada de prog metal, estilo que tem como seu maior representante atualmente, os norte-americanos do Dream Theater.
Logo após, Edu mais uma vez falou com os fãs, e dedicou “Wishing Well” para todas as pessoas que correm atrás dos seus sonhos. Mais uma vez, a platéia interagiu com a banda, cantando e balançando seus braços... Uma bonita imagem. Edu Falaschi chama o primeiro convidado da noite, o alemão Kai Hansen, ex – Helloween e atual frontman do Gamma Ray, e juntos cantam “Temple of Hate”... O Via Funchal vai à loucura. No final da música, Kai agradece e diz: “See you later”... O melhor ainda estava por vir...
O disco “Temple of Shadows” foi executado do início ao fim, revezando bons momentos da banda em palco, como duetos de violão de Kiko Loureiro e Rafael Bittencourt, os solos de baixo de Felipe Andreoli e a participação da pianista Silvia Góes, em “Sprouts of Time”. É desnecessário questionar a qualidade técnica dos integrantes... Todos, muito competentes em suas performances, porém muito prejudicados com a qualidade do som, em inúmeros momentos... Como em “No Pain For The Dead”, quando após uma pausa meio estranha, surge Sandra Felix, vocalista da banda Silent Cry, ao lado de Edu para cantar o refrão da música. Seu microfone parecia estar desligado, pois nada do que ela cantou foi escutado no Via Funchal. Ao final da música, Edu saiu do palco mostrando bastante irritação de sua parte pelo ocorrido.
Mas como o show tem que continuar, a banda retoma o fôlego e continua a saga de Shadow Hunter, pelas música do “Temple of Shadows”. Outro destaque, é “Late Remdeption”, onde o baterista Douglas Las Casas (Las Casas Intrumental Sextet, Wilson Simoninha, Mozart Mello) atuou como percurssionista nessa música, onde é notada a forte presença de ritmos brasileiros. No disco, a música contou com a participação de Milton Nascimento.
Finalizando a saga do cavaleiro das Cruzadas, “Gate XIII” serviu como um intervalo, tanto para o público como para a banda descansar um pouco... Quando repentinamente, o Angra volta ao palco... E volta com tudo, mandando ver em “Nothing to Say”, seguida de “Carolina IV”. Mais uma vez ao fim da música, Edu lembrou que apesar de tocar pelo mundo inteiro, tocar no Brasil é inigualável. Ele pede para todos cantarem com ele... E assim, começa “Angels Cry”. Ainda rolaram músicas como “Never Understand”, “Heroes of Sand”, “Acid Rain” e “Carry On”, para a alegria de todos os presentes.
Edu fala que a próxima música, é muito importante para o Angra... E no violão de Rafael, soam as primeiras notas de “Rebirth”. As surpresas durante o show não acabaram, e logo após o final de “Rebirth”, ele anuncia mais uma delas. A surpresa propriamente dita, é nada mais nada menos que um medley, iniciado com “Reaching Horizons”, seguido por “Stand Away” (com Rafael nos vocais), “Z.I.T.O”, entre outras... No medley, a banda pôs o Via Funchal pra cantar “Make Believe”, e finalizando essa sensacional seqüência, “Running Alone”.
Lembram-se de um certo senhor alemão que disse “see you later”, no início do show?! Pois bem, ele realmente voltou... Kai Hansen, agora com a guitarra em mãos, junta-se ao Angra e arrebentam em “I Want Out”, clássico do Helloween. Mais uma vez, o Via Funchal vai ao chão... A música, muito bem executada, arranca enormes aplausos da platéia. Kai, ainda lembra que em duas semanas, estará de volta ao Brasil com o Gamma Ray... Vale a pena conferir.
A saidera, começou na introdução de “In Excelsis”, onde já aparece um Aquiles Priester com sua máscara infernal, e abre “Nova Era” pra fechar com chave de ouro esse show pra ficar na memória dos fãs. Impressionantes 2 horas e 55 minutos de show. O atraso no começo, apesar do incômodo valeu o show, que fugiu do padrão convencional... E a marca de uma banda, que ao passar pela mais profunda mudança na formação, ergueu a cabeça e continuou a batalhar... E com coragem de inovar desde o princípio de misturar os mais variados ritmos brasileiros com o Heavy Metal, inovaram e fizeram a diferença, num estilo que já estava saturado até então. E que venham mais 14 anos...

Angra:

Edu Falaschi - Vocais
Kiko Loureiro - Guitarra, violão
Rafael Bittencourt - Guitarra, violão
Aquiles Priester - Bateria
Felipe Andreoli - Baixo
Fábio Laguna - Teclados

TrackList:
Deus Le Volt
Spread Your Fire
Angels And Demons
Waiting Silence
Wishing Well
Temple Of Hate (Kai Hansen: Vocal)
The Shadow Hunter
No Pain For The Dead (Sandra Felix: Vocal)
Winds Of Destination
Sprouts Of Time (Silvia Góes - Piano)
Morning Star
Late Redemption (Douglas Las Casas - Percurssão)
Gate XIII
Nothing To Say
Carolina IV
Angels Cry
Never Understand
Acid Rain
Gentle Change
Unfinished Allegro
Carry On
Rebirth
Medley
I Want Out (Cover do Helloween - Kai Hansen: Vocal/Guitarar)
In Excelsis
Nova Era

Medley, em breve

Data do Show: 05/11/2005
Valor do ingresso:


Nenhuma postagem até o momento.

Registre-se e poste

Melhor visualizado com Mozilla Firefox > 1.0 ou I.E > 6.0 em 800x600.
RockInSampa.com.br - Todos os direitos reservados. A RockInSampa é uma publicação da Editora e Produtora Virtual.